A hospedagem deste site é uma cortesia de


Armadilhas
Animais Vivos em Mercados
Animais para Consumo
Baleias e Golfinhos
Bovinos
Caça
Cães e Gatos
Cavalos
Circos
Elefantes
Lobos
Peles
Primatas
Tigres
Ursos
Vivissecção



 

Dying cow waiting for slaughter Chicken  battery veal Goose being overfed for foie gras production

"O Direito dos Animais começa no seu prato" - recomendamos a leitura desse texto para os que amam os animais mais ainda comem carne.

Proteste Online

Por um tratamento humanitário para as galinhas poedeiras,que são privadas de alimentos por até duas semanas, visando o controle da produção de ovos.

Abatedouros clandestinos no Rio de Janeiro - Mande um e-mail para as autoridades do Rio de Janeiro .O Jornal "O Globo" de 15/12/01 publicou uma matéria de página inteira sobre os abatedouros clandestinos no Rio de Janeiro. O foco, claro, é no perigo para a saúde dos consumidores. Em nenhum momento o repórter menciona as atrocidades de que esses pobres animais são vítimas. Como sabemos, bois, vacas e porcos abatidos em fundos de quintal recebem marretadas, facadas e são retalhados vivos, sem falar de outras torturas. São castrados sem anestesia, confinados em espaços minúsculos ,condenados a viver sem luz do Sol ou o mínimo de dignidade. Veja mais em: http://www.apasfa.org/futuro/animais_consumo.shtml

Abate cruel no Ceará - Mande um e-mail para o Governador do Ceará. Desde o ano de 1995 há lei específica (Lei Estadual nº 12.505/95) que obriga em todos os matadouros do Estado, públicos e particulares, a utilização do método científico de insensibilização através do uso de pistola pneumática (ou de espoleta). Contudo, a lei não é cumprida e bovinos, suínos, caprinos, etc. são abatidos de forma dolorosa e cruel, sem que nenhuma autoridade - nem mesmo as que defendem os direitos do consumidor (pois a carne do animal morto com crueldade é nociva à saúde do ser humano que a ingere em virtude das toxinas liberadas no processo) tome providências para que seja abolido o método abusivo e selvagem de marretadas no abate.

Cartas e Postais

Campanha contra a produção de Vitela - A trajetória de sofrimento do bezerro começa já no 1º dia de vida, quando é apartado da mãe e trancado em um compartimento que não oferece espaço para que se movimente. Muitos não permitem até que o animal se deite. E isso por cerca de seis meses. A intenção é impedir o desenvolvimento da musculatura e garantir a carne tenra. A alimentação é feita apenas com leite. "Privar o bezerro do consumo de fibras e minerais presentes nas pastagens gera uma deficiência de ferro que pode levar à anemia", explica o veterinário José Luciano Andriguetto, professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual do Paraná. Para evitar que os animais adoeçam, os produtores geralmente fornecem grande quantidade de antibióticos. Com 4 a 6 meses de vida, os bezerros são retirados do compartimento. Experimentam a liberade em alguns passos trôpegos e vão direito para o abate. (fonte: Arca Brasil)
Quando você for a um restaurante que serve vitela no cardápio, deixe um cartão postal junto com o pagamento da conta. Imprima a página e recorte o postal. Em Nova York diversos restaurantes pararam de servir vitela, graças a mensagens como essa. Faça a sua parte.

Campanha contra a produção de patê de Foie Gras - São usados, por ano, cerca de 10 milhões de gansos e patos para a produção do patê de foie gras. As aves são mantidas, por toda a sua curta vida, em confinamento permanente dentro de gaiolas mínimas, o que as impede de fazer qualquer movimento.Alimentadas de 3 a 5 vezes ao dia -- quando são seguradas pelo pescoço --, têm seus bicos abertos, onde é introduzido um cano metálico de 20 a 30 cm de comprimento, que chega até o estômago do animal. Uma alavanca então é acionada e bombeia, de uma vez, através desse cano, uma mistura de milho, gordura e sal.Cada ave é forçada a ingerir até 3,5 kg dessa ração por dia, o que equivale a um ser humano ser forçado a comer 12,5 kg de macarrão por dia. Após a alimentação, um anel elástico é apertado no pescoço da ave para impedir que regurgite. Após 4 semanas de alimentação forçada, o animal é morto e seu fígado, retirado para produzir o patê. Verifique no supermercado que você faz suas comprar, se o patê é vendido. Caso constate a venda do produto, mande um e-mail ou uma carta para o supermecado (click no título deste segmento). Você pode conseguir o e-mail e o endereço, no própio supermercado.

Saiba mais sobre a indústria de carne. Lembre-se de que no Brasil ainda é muito pior:

http://www.factoryfarming.com/
http://www.poultry.org/
http://www.noveal.org/
http://www.meatstinks.com/

Vídeos:

http://www.nodowners.org/video/index.htm http://www.factoryfarming.com/gallery/photos_video.htm
http://www.hfa.org/video.html

 

"Em meu pensamento, a vida de um cordeiro nao é menos importante que a vida de um ser humano." - Mahatma Gandhi (Estadista e filosofo)